Reconheça as principais constelações visíveis hoje!

 

 

Principais constelações de Janeiro

roteiro de observação

 

Neste mês, o céu é característico do verão. Alta, para os lados do leste, notamos Orion (o caçador Órion - Ori), a constelação símbolo da estação, onde brilham, bem no centro, as Três Marias. Ao sul de Orion estão Lepus (a Lebre - Lep) e Columba (a Pomba - Col). De Orion em direção ao noroeste vemos Taurus (o Touro - Tau) com seus dois aglomerados abertos de estrelas: Híades e Plêiades. Ao norte de Taurus situa-se Perseus (o herói Perseu - Per) formada por estrelas de fraco brilho; a leste de Perseus encontra-se Auriga (o Cocheiro - Aur).

A nordeste, à meia altura, destaca-se Gemini (os Gêmeos - Gem) e Cancer (o Caranguejo - Cnc). Para os lados do noroeste, Pegasus (o Cavalo Alado - Peg), constelação símbolo da primavera, domina o quadrante, parcialmente mergulhada no horizonte. Junto a Pegasus e próxima ao horizonte noroeste está Andromeda (a Princesa Andromeda - And). A noroeste, à meia altura, vemos Aries (o Carneiro - Ari) e a pequenina constelação de Triangulum (o Triângulo -  Tri).

De Orion em direção ao sudeste avistamos Canis Major (o Cão Maior - CMa), um dos cães de caça de Orion. A leste de Orion estão Monoceros (o Unicórnio - Mon) e Canis Minor (o Cão Menor - CMi), o outro cão de caça do gigante caçador.

A oeste de Orion, alta do céu, encontra-se Cetus ( a Baleia - Cet), em excelentes condições de observação. Entre Cetus e Pegasus situa-se Pisces (os Peixes - Psc). A oeste de Cetus nota-se a constelação de Aquarius (o Aquário - Aqr), formada por estrelas de fraco brilho aparente, parcialmente mergulhada no horizonte.

A sudeste de Cetus avistamos Eridanus (o rio Eridano - Eri), grande constelação que se estende das proximidades de Orion em direção ao sul. Phœnix (a Fênix - Phe), Hydrus (a Hidra Macho - Hyi) e Tucana (o Tucano - Tuc) estão para os lados do sul junto a Eridanus.

 Próximo ao horizonte sudoeste vemos o característico desenho de um número 1: é a parte principal da constelação de Grus (a Grou - Gru). Junto a Grus avistamos a constelação de Piscis Austrinus (o Peixe Austral - PsA). A sul-sudoeste observamos Pavo (o Pavão - Pav); ao sul vemos Apus (a Ave do Paraíso - Aps) e Octans (o Oitante - Oct), onde se encontra a estrela polar do sul.

A sudeste vemos a constelação de Carina (a Quilha do Navio - Car). Junto à Carina estão Puppis (a Popa do navio - Pup) e Vela (as Velas da embarcação - Vel). Volans (o Peixe Voador - Vol), Dorado (o Dourado - Dor) e Reticulum (o Retículo - Ret) estão a oeste de Carina e são formadas por estrelas de fraco brilho aparente. Bem próximas ao horizonte sul-sudeste encontram-se Musca (a Mosca - Mus) e Crux (o Cruzeiro do Sul - Cru). A leste vão surgindo as primeiras estrelas de Hydra (a Hidra Fêmea - Hya).

 

resumo extraído de  "Estrelas e Constelações - Guia Prático de Observação"

de autoria de Paulo G. Varella e Regina A. Atulim

 

OBSERVAÇÕES:

  • O mapa assinala o aspecto do céu visto ao longo deste mês, nos seguintes horários: início do mês às 21h 20min; meio do mês às 20h 40min; final do mês às 20h 00min. Junto ao círculo que delimita o mapa (e que representa o horizonte do observador) estão as direções dos quatro pontos cardeais e dos quatro colaterais, que devem estar orientados para os seus correspondentes na natureza; o centro do círculo é o Zênite, ponto do céu diretamente acima da cabeça do observador.

  • Os instantes fornecidos são para o fuso horário de Brasília.

 

mapa com as principais constelações visíveis durante este mês

 

 

 

 

voltar