Reconheça as principais constelações visíveis hoje!

 

 

Principais constelações de Agosto

roteiro de observação

 

Acima do horizonte sudoeste, à meia altura, está Crux (o Cruzeiro do Sul - Cru), a constelação mais conhecida entre os brasileiros. Ao sul de Crux estão Musca (a Mosca - Mus), Apus (a Ave do Paraíso - Aps) e Octans (o Oitante - Oct), onde se encontra a estrela polar do sul. Envolvendo Crux por três lados, menos para o do sul para onde o braço maior da cruz está apontando, encontra-se Centaurus (o Centauro - Cen).

A constelação de Triangulum Australe (o Triângulo Austral - TrA), utilizada para processos noturnos de orientação no campo, encontra-se alta para os lados do sul, junto a Centaurus. De Triangulum Australe em direção ao sudeste estão Pavo (o Pavão - Pav) e Tucana (o Tucano - Tuc).

A oeste, parcialmente visível, está Hydra (a Hidra Fêmea - Hya). Junto a ela vemos o inconfundível trapézio de Corvus (o Corvo - Crv). Ainda a oeste, destaca-se a grande constelação de Virgo (a Virgem - Vir). Mais para o alto do céu estão Libra (a Balança - Lib), Serpens (a Serpente - Ser) e Ophiuchus (o Serpentário - Oph).

No alto do céu encontramos Scorpius (o Escorpião - Sco), associada às noites do inverno. Junto à cauda de Scorpius situa-se Sagittarius (o Sagitário - Sgr). Na direção dessa constelação é que está o centro de nossa galáxia. Entre Scorpius e Centaurus localiza-se Lupus (o Lobo - Lup). Norma (o Esquadro - Nor) e Ara (o Altar - Ara) estão entre Scorpius e Triangulum Australe.

Ao noroeste observamos a constelação de Boötes (o Boieiro - Boo). A leste de Boötes está Corona Borealis (a Coroa Boreal - CrB). Para os lados do norte vemos Hercules (o herói Hércules - Her) e a constelação de Lyra (a Lira - Lyr). Ao norte de Lyra são avistadas algumas estrelas de Draco (o Dragão - Dra), que se eleva pouco em relação ao horizonte por se tratar de uma constelação boreal.

Dominando o quadrante nordeste, à meia altura, encontra-se Cygnus (o Cisne - Cyg), que se situa em plena faixa da Via Lactea. Ao sul de Lyra e Cygnus estão Aquila (a Águia - Aql), Sagitta (a Flecha - Sge) e Delphinus (o Golfinho -Del). Entre Aquila e Cygnus situa-se a pequena constelação de Vulpecula (a Raposinha - Vul).

Capricornus (o Capricórnio - Cap) encontra-se à meia altura, para os lados do leste. Ao sul de Capricornus vemos o característico desenho de um número 1: é a parte principal da constelação de Grus (a Grou - Gru). A leste de Grus, em direção ao horizonte, avistamos a constelação de Piscis Austrinus (o Peixe Austral - PsA).

Junto ao horizonte sudeste notamos a constelação de Phœnix (a Fênix - Phe), além das primeiras estrelas de Eridanus (o rio Eridano - Eri). A leste vemos a constelação de Aquarius (o Aquário - Aqr), formada por estrelas de fraco brilho. Surgindo a és-nordeste está parte da constelação de Pegasus (o Cavalo Alado - Peg), constelação símbolo da primavera.

 

resumo extraído de  "Estrelas e Constelações - Guia Prático de Observação"

de autoria de Paulo G. Varella e Regina A. Atulim

 

OBSERVAÇÕES:

  • O mapa assinala o aspecto do céu visto ao longo deste mês, nos seguintes horários: início do mês às 21h 20min; meio do mês às 20h 40min; final do mês às 20h 00min. Junto ao círculo que delimita o mapa (e que representa o horizonte do observador) estão as direções dos quatro pontos cardeais e dos quatro colaterais, que devem estar orientados para os seus correspondentes na natureza; o centro do círculo é o Zênite, ponto do céu diretamente acima da cabeça do observador.

  • Os instantes fornecidos são para o fuso horário de Brasília.

 

mapa com as principais constelações visíveis neste mês

 

 

 

voltar